PESQUISADOR QUE DESCOBRIU LENDA DO ÚLTIMO CAPITÃO PIRATA DESVENDA ASSASSINATO DE 125 ANOS!

 

Marcos Juliano Ofenbock 


Desde quando eu era um "piazinho" (termo sulista para menininho) aqui em Curitiba, eu ouvia histórias e lendas sobre um tesouro escondido por algum canto da cidade. Sempre achei tudo muito fantástico, e por mais inacreditável que pudesse parecer, eu tinha certeza que a lenda era verdadeira.

Zulmiro, falavam alguns. Um pirata inglês que morou e morreu em Curitiba. Mas como? Só poderia ser lenda...

Será?

Eis então que o pesquisador Marcos Juliano Ofenbock, em sua odisséia para desvendar os mistérios dessa antiga lenda urbana da capital paranaense, chegou ao tal pirata. Ele realmente  conseguiu provar que Zulmiro (Francis Hodder), foi o último capitão pirata do mundo. E mais: O maior roubo da história marítima também foi feito por ele e sua trupe. 

Em 1821, eclodiu a independência do Peru. Sabendo que isso seria inevitável, a coroa espanhola decidiu levar todo o ouro e as riquezas da Catedral de Lima para a Europa. Porém Zulmiro saqueou o navio e escondeu o valiosíssimo tesouro na Ilha da Trindade. Ilha essa que fica a cerca de 1200 quilômetros da costa brasileira.

O pirata após desembarcar na pequena Curitiba do século XIX, muda o nome para João Francisco Inglez. Vivendo pacatamente. 

Porém certo dia, em sua porta bate Edward Young. Inglês como Zulmiro, que de passagem por Curitiba, ao ouvir boatos de um velho britânico que "morava no mato", quis ver se era verdade, se haveria ali um conterrâneo seu.

Os dois acabam por ficar muito amigos. Tempos mais tarde, já no fim da vida, Zulmiro conta seus segredos à Edward, deixando para ele também um roteiro detalhado, sobre a localização do incrível tesouro.


Edward Young 


O pirata Zulmiro, faleceu em Curitiba em 1889. Seu amigo, Edward Young, acabou por ser assassinado sete anos mais tarde. Crime esse que nunca foi desvendado e permaneceu sem solução até pouco tempo atrás.

Após revelar ao mundo os passos do último capitão pirata, Marcos Juliano, conseguiu algo extremamente incrível: também resolveu o mistério do assassinato do melhor amigo do pirata Zulmiro. 

E quem seria assassino?

O algoz de Edward, seria o português João Vieira  Bastos. Famosíssimo trambiqueiro, que no fim do século XIX e início do século XX, vivia aplicando o "golpe do conto do vigário". Sendo preso inúmeras vezes pela polícia. Mas sendo sempre solto pouco depois.

A própria impressa da época soltava muitas matérias nos jornais, alertando a população sobre estes tipos de golpes aplicados nas ruas do Rio de Janeiro. 

 
O "gatuno", José Vieira Bastos


Com uma conversa "fácil" e lábia afiada, Vieira teria se aproximado de Edward para intermediar uma série de cartas que o inglês enviava para um jornal no Rio de Janeiro. Esperando que aparecessem pessoas interessadas em investir na busca pelo tesouro. Porém nessas cartas ele não dava muitos detalhes sobre o roteiro que possuía.

José Vieira, teria entrado a noite na casa de Edward Young, para roubar o roteiro e as informações  sobre o tesouro. Mas sendo surpreendido, acabou por atirar e matar o inglês.



As cartas de José Vieira para Edward Young 


Marcos Juliano, conta que José Vieira por ser íntimo da família e amigo de Edward, não procurou a viúva nem as autoridades. Na verdade ele acabou por fugir. Os documentos da polícia da época mencionam 18 contos de réis. Um bom dinheiro, eles suspeitavam ser esse o motivo do assassinato. Mas não mencionavam nada sobre o tesouro. Pois a polícia não tinha conhecimento disso.

Foram graças às cartas enviadas por Vieira a Edward que Marcos Juliano conseguiu revelar o mistério. Com um excepcional trabalho de transcrição de todo este material, Ofenbock foi esmiuçando o caso até chegar ao assassino. Sem essas cartas seria impossivel trazer luz a este mistério, afirma o pesquisador autodidata.


A notícia sobre a morte de Edward Young, 1896


Além de provar que o último capitão pirata do mundo, escondeu um tesouro no Brasil, viveu em morreu em Curitiba, agora Marcos Juliano Ofenbock devenda mais este enigma que já perdurava há mais de 125 anos. Ele fala também  que se na época a polícia soubesse do tesouro, com certeza José Vieria teria sido preso, e o caso resolvido rapidamente.

Mas e quanto ao "Tesouro de Zulmiro"? 

O dedicado pesquisador acredita (assim como este que vos escreve) que ele continua lá, esperando para ser descoberto. Com a tecnologia moderna, como detectores de metais, drones, scanners e escavadeiras, em breve ele será localizado. Porém, conta ele, que décadas atrás, sendo a Ilha da Trindade uma ilha vulcânica, um desmoronamento de terra caiu sobre o local do tesouro.

Marcos Juliano Ofenbock inclusive escreveu o excelente livro "A Verdadeira Ilha do Tesouro: As Crônicas do Pirata Zulmiro", que narra de forma fantástica a saga do Pirata até os nossos dias. Baseado em fatos reais. 

Livro este que conta com uma resenha aqui no Blog: A Verdadeira Ilha do Tesouro: As Crônicas do Pirata Zulmiro



Comentários

MAIS LIDAS

VIVA NOSSA SENHORA! SANTUÁRIO NACIONAL DE APARECIDA VOLTA A RECEBER FIÉIS

IGREJA CATÓLICA CRESCE NO MUNDO, AGORA SÃO MAIS DE 1.3 BILHÕES DE FIÉIS

MULHER RECUSA ABORTAR, DÁ LUZ A GÊMEOS, ELES CRESCEM E AMBOS VIRAM PADRES

MENINA ENCONTRA ESPADA NO MESMO LAGO ONDE O REI ARTHUR DEIXOU A EXCALIBUR

A IGREJA CATÓLICA NÃO PERDE FIÉIS, QUEM SAI DA IGREJA NUNCA FOI REALMENTE CATÓLICO

CAVALEIROS DE SÃO LÁZARO: ORDEM MEDIEVAL FEITA POR CAVALEIROS LEPROSOS

JOVEM COM CÂNCER TERMINAL É ORDENADO PADRE GRAÇAS AO PAPA FRANCISCO, FALECENDO DIAS DEPOIS

DENTRE GUERRAS E INTRIGAS ENTRE GOVERNANTES, O ÚNICO LÍDER QUE SE DESTACA É FRANCISCO DOS POBRES